O Cantinho da Fotografia

A Oftalmologia é uma especialidade muito iconográfica, em que recorremos com muita frequência à fotografia e meios de imagem para registar aspectos clínicos importantes.

A iniciativa “Cantinho da Fotografia” da SPO Jovem, apoiado pela Théa, tem permitido ao longo dos anos a obtenção desse acervo. Na impossibilidade de recorrermos às redes sociais, por motivos relacionados com a política de proteção de dados (RGPD), a direção da SPO decidiu criar uma newsletter específica “Cantinho da Fotografia”, de periodicidade mensal dedicada a uma área específica.

O coordenador de cada seção ou grupo da SPO escolherá 3 fotografias que tenham participado no concurso associado à respetiva reunião de grupo. As mesmas serão acompanhadas de comentários dos autores e coordenadores. Esperamos que gostem e vos seja útil.

Ver, reconhecer mais tarde e melhor diagnosticar.

GPRV

Clique para ampliar as imagens e conhecer a autoria.

 

Imagem retinográfica em campo largo de uma hemorragia pré-retiniana de grandes dimensões que pela sua localização e etiologia tem excelente prognóstico funcional sem necessidade de qualquer intervenção terapêutica. Este tipo de acontecimento deve, no entanto, alertar o oftalmologista para a necessidade de excluir uma hipertensão arterial concomitante.

Comentário pelo Coordenador do GPRV Dr. António Campos Figueiredo

CIRP

Clique para ampliar as imagens e conhecer a autoria.

 

Comentário por Prof. Andreia Rosa

Estas foram as fotografias vencedoras do Cantinho da Fotografia do RAIO/SPO Jovem 2021.

A primeira - Medallion IOL – mostra como a história pode ser usada para compreender o presente e antever alguns aspetos do futuro. Conhecer as complicações das lentes intra-oculares e os modelos que resistem ao passar dos anos permite-nos ter modelos cada vez mais seguros, mas que não dispensam uma avaliação e acompanhamento cuidadosos.

A segunda fotografia – The Dark Side of the Lens - mostra uma complicação muito frequente em doentes com síndrome de Marfan, sendo a causa mais frequente de ectopia lentis hereditária, mas existem outras, como a homocistinúria (deslocação geralmente inferior, ao contrário do síndrome de Marfan), síndrome de Weill-Marchesani e síndrome de Ehlers-Danlos.

A terceira fotografia  - Furacão PEX – alerta para a panóplia de complicações que a pseudoexfoliação pode trazer, formas de as prevenir e minimizar. Importa só acrescentar que cerca de 50% dos doentes com pseudoexfoliação desenvolvem glaucoma e que o glaucoma pseudoexfoliativo é o glaucoma secundário mais comum e a causa mais frequente de glaucoma unilateral. 

Grupo de Córnea

Clique para ampliar as imagens e conhecer a autoria.

 

Comentário da Dra Esmeralda Costa - Coordenadora do Grupo de Córnea, Superfície Ocular e Lentes de Contato

Esta seleção de imagens põe em evidência a importância crescente que o OCT-SA tem vindo a assumir na avaliação dos doentes com patologia corneana.

O OCT-SA permite detalhar o envolvimento da córnea, identificando com precisão alterações estruturais, que de outra forma poderiam ser de difícil caracterização. O diagnóstico de distrofias e degenerescências corneanas, por exemplo, é assim bastante facilitado, o que permite uma abordagem terapêutica direcionada.

O OCT-SA também tem contribuído decisivamente para a avaliação pós operatória, com particular relevância no campo dos transplantes lamelares, para despiste de complicações como os descolamentos de lentículos de DSAEK/DMEK e dupla câmara em DALK.

É, sem dúvida, um aliado para o diagnóstico e um grande apoio à decisão terapêutica.