Regulamento de atribuição de bolsas do programa de incentivo à investigação clínica da SPO

  1. A Sociedade Portuguesa de Oftalmologia, através da sua Secção Grupo Português de Investigação (GPI), pretende estabelecer um apoio pecuniário e estrutural aos projetos de Investigação clínica desenvolvidos em parceria entre vários centros oftalmológicos nacionais (pelo menos 3).
  2. O apoio pecuniário será determinado anualmente pela direção da SPO e é atribuída gradualmente, preferencialmente na forma de serviços de apoio à submissão, angariação de financiamento, resolução do processo burocrático de implementação nos vários centros de investigação, condução e análise de resultados seguindo um processo de seleção, de acordo com as seguintes regras:
    • O prazo para envio de candidaturas é a cada 30 de Setembro às 23.59 (hora de Lisboa)
    • As submissões devem ser realizadas através do formulário em: https://spoftalmologia.pt/seccao-de-investigacao-clinica/candidaturas/
    • O objetivo da bolsa é a criação de condições para tornar o projeto autónomo científica e financeiramente e não o de promover o seu financiamento integral
    • Poderão candidatar-se projetos de investigação clínica resultantes de parcerias entre pelo menos 3 centros clínicos nacionais (da área da oftalmologia), não sendo condição de exclusão presença adicional, na parceria, de centros internacionais ou de outras áreas científicas. Os 3 centros clínicos nacionais têm que ser independentes entre si – um centro clínico e um académico vinculados à mesma instituição apenas contam como um centro.
    • Serão aceites projetos de investigação com a duração máxima de 3 anos.
    • As candidaturas deverão ser submetidas no portal da Secção de Investigação Clínica até às 23.59 (hora de Lisboa) de 30 de Setembro de cada ano, e deverão conter:
      • Nome do candidato
      • Contacto do candidato (email e telefone)
      • Título do projeto
      • Área do projeto
      • Instituições onde se realizará o projeto (coordenadora e parceiros)
      • Curriculum do Investigador Principal;
      • Objetivos do projeto (máximo 200 palavras);
      • Descrição em detalhe do projeto (incluindo material e métodos);
      • Cálculo amostral ou amostra necessária prevista
      • Resultados obtidos previamente (caso seja projeto em curso);
      • Calendarização do projeto;
      • Descrição de competências do investigador ou equipa de investigadores (clarificar o papel do proponente nas várias fases do projeto);
      • A forma como o conhecimento da equipa permite atingir os objetivos
      • Plano financeiro do projeto de investigação (este plano deve ser o mais detalhado possível com informação financeira para Missões, Recursos humanos, Bens e Serviços, Divulgação, e outros parâmetros que julguem ser relevantes; deve ser especificado em cada campo para que serve o financiamento. Indicar se foram obtidos financiamentos prévios ou se há candidaturas em curso). O financiamento dedicado a recursos humanos poderá ser contemplado se justificado, como uma prestação de serviços (exemplo: desenvolvimento de software). Não poderá existir financiamento para horas de trabalho dos investigadores ou pessoas diretamente envolvidas no projeto
      • Plano de contingência (passos pensados para ultrapassar etapas que não sejam bem sucedidas ou atrasem)
      • Condições institucionais para concretização do projeto (equipamento, recursos humanos, infraestrutura);
      • Aprovação comissões de ética (poderá ser submetida posteriormente)
      • Resumo curricular do co-investigadores responsáveis (1 por cada instituição parceira; membros da SPO).
      • Enumerar quantas publicações estão previstas e qual o conteúdo/objetivos do projeto pensados para cada uma
      • Publicações mais relevantes realizadas pela equipa proposta relativas ao âmbito do projeto
      • Resumo (máximo 500 palavras; este resumo deverá ser facilmente entendido pelos sponsors/público em geral, e será tido em conta para a valorização final do projeto; deverá ter os campos Introdução, Objetivo, Relevância)
      • Todos os pontos acima referidos são de caráter obrigatório
  3. Forma de pagamento: a SPO irá realizar a transferência de montantes após declaração escrita de que a respetiva fatura será enviada à SPO no prazo máximo de 30 dias. As faturas terão sempre que ser emitidas com o NIF da SPO (501364676). As faturas devem ser enviadas para socportoftalmologia@gmail.com
  4. Em casos excecionais, a fatura pode ser passada em nome de um hospital ou universidade, caso se justifique pelo facto do valor a pagar por um bem ou serviço ser mais baixo por de ser contratado por um hospital ou universidade
  5. Apresentação oral do projeto: as candidaturas consideradas pelo júri como potenciais vencedoras da bolsa terão que ser apresentadas oralmente no congresso nacional do mesmo ano. Os candidatos serão atempadamente contactados com o horário da sua apresentação. Essa apresentação irá decorrer no primeiro dia do congresso, quinta-feira, sendo o anúncio das candidaturas vencedoras feito no jantar de gala do congresso. Estes momentos podem ser ajustados sempre que a Direção assim o entenda
  6. Será valorizada a utilização de bases de dados nacionais ou internacionais já existentes dentro do âmbito de sociedades
  7. A entrega da bolsa será formalizada através de um protocolo com o Investigador e Co investigadores principais.
  8. O projeto vencedor deve apresentar relatórios de acompanhamento anuais e um relatório final, a qual monitorizará o desenvolvimento do projeto, bem como as necessidades e o tipo de apoio a facultar em cada etapa. Estes relatórios devem ser enviados até dia 1 Dezembro de cada ano durante a duração da bolsa para socportoftalmologia@gmail.com.
  9. É obrigatório a inclusão em todos os documentos elaborados com os resultados do projeto a menção, nos agradecimentos e patrocínios, ao “Programa de Incentivo à Investigação Clínica da Sociedade Portuguesa de Oftalmologia”
  10. A constituição do Júri será estabelecida pela direção da SPO após proposta conjunta elaborada com a SIC, sendo este presidido pelo Presidente da SPO.
  11. Compete ao Presidente do Júri agendar a reunião do Júri, que analisará as candidaturas de acordo com os seguintes critérios:
    • Mérito cientifico do projeto;
    • Condições institucionais para a realização do projeto;
    • Impacto na melhoria dos cuidados de saúde na área da oftalmologia;
    • Mérito do percurso científico do investigador responsável e co-investigadores
    • Qualidade dos indicadores científicos previstos (nomeadamente teses de Mestrado e Doutoramento e criação de patentes)
    • Mérito da composição da rede multicêntrica estabelecida, nomeadamente na sua capacidade de implementação do projeto e difusão da investigação clínica em Oftalmologia
  12. As decisões do Júri serão tomadas por maioria de votos e delas não haverá́ recurso. Em caso de empate o Presidente tem voto de qualidade.
  13. As candidaturas selecionadas serão anunciadas no congresso nacional em Dezembro do mesmo ano, tendo a bolsa início no ano civil seguinte