28 de Setembro, 2021

O meu filho vai para o 1º ano e não conhece as cores; o que fazer?

Ouvir o Programa no site da TSF
Médico Oftalmologista: Dr. Miguel Raimundo

Nem sempre é fácil para as crianças mais novas identificarem as cores, e o ideal é fazer um rastreio visual antes de começarem as aulas. O oftalmologista Miguel Raimundo explica porquê:

A nossa retina, que é a camada fotossensível do olho e que converte a luz em pulsos elétricos, distingue dois tipos de fotorreceptores. Os primeiros são os bastonetes, que são células especializadas para detetar luz em movimento, e os segundos são os cones, que são utilizados para visão de detalhe, mas também para a cor. Nós temos 3 tipo de cones: um mais sensível ao vermelho, outro ao verde e outro ao azul. E, no fundo, o nosso cérebro combina a informação destes 3 cones e permite-nos distinguir a cor.

Ora, se existir uma mutação num destes cones, e de longe as mais frequentes são as que atingem o cone verde, isto leva à situação clínica a que chamamos de daltonismo vermelho/verde, que surge em cerca de 5% a 8% dos homens e a 0,5% das mulheres. Isto leva, se não funcionar de todo, a um daltonismo completo, ou se forem mutações parciais a um daltonismo parcial. E o que é que acontece a estas pessoas? Na prática, e com gravidade variável, os verdes e vermelhos são facilmente confundidos, e passam a ser percecionados como se fossem castanhos pouco saturados.

Qual é o lado bom? É que, de resto a visão é completamente normal, e não progride nem agrava com o tempo. Muitas vezes, o diagnóstico é feito quase de forma quase acidental. Nas crianças muitas vezes, nas mais novas existe alguma dificuldade em aprender as cores, e trocam facilmente estas cores mais ambíguas, pelo menos para eles. Muitas vezes, em coisas mais práticas, trocam as cores das meias. Numa criança em que a única dificuldade de visão encontrada é apenas esta, não existe à partida qualquer motivo de preocupação.

Como a visão da cor é só um aspeto da visão, e de forma a garantir que este e outros aspetos estejam completamente normais, é sempre importante ter uma consulta de rotina com um oftalmologista. Imediatamente, antes de entrar na escola, para garantir que ela entra nas melhores condições possíveis em termos da visão saudável.

Amanhã falamos sobre os cuidados a ter com os livros virtuais e quadros interativos.