9 de Novembro, 2021

Com que idade devo começar a preocupar-me com o Glaucoma?

Ouvir o Programa no site da TSF
Médico Oftalmologista: Cláudia Gonçalves

A idade é um fator de risco, e a partir dos 40 anos devemos estar ainda mais atentos ao glaucoma. A oftalmologista Cláudia Gonçalves lembra a importância do diagnóstico precoce:

O glaucoma é uma doença ocular que afeta sobretudo o nervo ótico, sendo que a lesão do mesmo pode levar a um compromisso: numa primeira fase no campo visual, e à medida que a doença progride, a visão central é comprometida levando a uma cegueira irreversível se não for tratada atempadamente.

Apesar de existirem vários tipos de glaucoma, o mais prevalente no nosso país é totalmente assintomático numa primeira fase da doença. Deste modo, o diagnóstico precoce é o pilar para que o nosso paciente possa viver com a doença sem que a mesma comprometa a sua qualidade de vida. 

São diversos os fatores de risco para a doença, sendo que o mais conhecido é a pressão intraocular ou tensão ocular. No entanto, a idade aparece em primeiro lugar na guidelines da Sociedade Europeia de Glaucoma. Assim, a partir dos 40 anos é quando a incidência inicia a sua curva ascendente, pelo que a consulta de oftalmologia é mandatória. Não é suficiente a medição da pressão intraocular, uma vez que existem casos de glaucoma com uma pressão normal.

A observação pelo médico especialista, eventualmente da necessidade da realização de exames para a deteção ou exclusão da doença são fundamentais a partir dos 40 anos de idade. A vigilância deverá ser realizada ao longo da vida com a periodicidade adaptada a cada caso, dependendo da existência de outros fatores de risco como a história de família ou a confirmação da doença.

Amanhã falamos sobre o diagnóstico do glaucoma.

Com o apoio da Sociedade Portuguesa de Oftalmologia.